domingo, 15 de março de 2009

Pãezinhos Sem Sal

Na última sexta-feira, dia 13 de Março, foi aprovado na Assembleia da República o projecto de lei do PS que impõe uma redução do teor do sal no pão. Confesso que não sou grande apreciadora de sal, mas que país é este em que um cidadão já nem a quantidade de sal no pão pode escolher? Que liberdade é a nossa se um padeiro não pode escolher a quantidade de sal que usa no próprio pão? As mulheres podem abortar, matando assim outras pessoas, mas comer pão com sal, isso não. Descanse o PS, os portugueses não precisam de um "paizinho". Sabemos fazer escolhas e viver com as consequências. Não precisamos de um Estado que se intromete nas nossas decisões mais privadas. Daqui a pouco usamos todos uma farda e em vez de nomes temos números. É de notar ainda que, contra esta tirada fascista do PS apenas de insurgiu o CDS-PP, com os cinco votos contra dos seus deputados. Haja alguém com discernimento.

9 comentários:

disse...

Acontece que esta medida faz todo o sentido. É uma medida de saúde pública.

Em média cada pessoa deve consumir o sal equivalente a uma colher de chá e neste momento, só o pão já fornece essa dose...se o povo não é capaz de se regular sozinho, venha o governo fazê.lo quando sabe que é o melhor para nós.

Isto porque as padarias não o fariam por iniciativa própria, pois as que reduzissem o sal, perderiam clientela, visto que altera o sabor do pão.

Diana disse...

Té não te sabia uma apoiante tão grande da ditadura!But I guess it takes all kinds!
Esta medida não tem lógica nenhuma. Cada pessoa é que tem de decidir por si se quer ou não ser saudável. Há muitos tipos de pães, uns com mais sal, outros com menos. Cabe a cada um escolher. O que não pode acontecer é a falta de escolha. Só falta agora proibirem o açucar, o tabaco, o álcool. E porque não os fritos? Também fazem mal. Penso que, a não ser que se esteja a prejudicar outra pessoa, cada um tem o direito de fazer o que bem entender. Há áreas que o direito não deve regular e esta é uma delas.

Diana disse...

Para mais sobre este tópico remeto para o filme "O Homem Demolidor".

Anónimo disse...

Tal como a Diana diz acho que esta medida não faz sentido nenhum, nós temos direito à escolha e não vamos estar com rodeios hoje em dia há inúmeras qualidades de pão. A pessoa pode escolher qualquer um consoante o seu gosto e até o que é melhor para a sua saúde.

Eu sou alentejana e não querendo ser convencida mas o pão alentejano é dos melhores que há, e alterar o seu sabor seria o mesmo que me tirarem o sotaque.

(Marina)

Joana disse...

Vamos acabar com o Mcdonalds porque há quem lá coma todos os dias?

O Direito surge para regular os conflitos da sociedade e não para regular situações extra-juridicas. Estas são um espaço livre de Direito. Não têm diginidade juridica, isto é, não têm de ser reguladas pelo Direito.

Se a ideia é implementar medidas de saúde pública, continuo sem entender porque se fala sequer na legalização das drogas leves, por exemplo. Muitos outros assuntos poderiam aqui ser referidos.

Diana disse...

Obrigada pelo apoio Marina e Joana!lolol
Olha Marina, quanto ao sotaque prepara-te, deve ser a próxima medida do Sócrates!lol
Ai Joana andei às voltas com essa do espaço livre de Direito e achava que não era assim que se dizia!Croma!É que a minha atenção a IED não era muita, pelas razões óbvias!;)

rita disse...

eu cá gosto de pagar mais impostos pra ter um serviço de saúde que trate todos os hipertensos

Diana disse...

Dá-lhe Rita!Vais ser um génio a Direito fiscal!;)

David disse...

Diana, tenho de expressar o meu mais profundo desagrado por chamares fascista ao PS.
Como fascista sinto-me ofendido!!!

Esta medida é...vá...nojenta. Só prova a vontade do PS em "fingir que trabalha". Não sabem como resolver os problemas do país, então tentam tratar-nos da saúde. Mas onde é que já se viu um Governo meter-se na culinária? Quer dizer...qualquer dia estou em casa a preparar as minhas torradas queimadinhas e entra-me a ASAE pela janela pk o Socrates está preocupado em que eu desenvolva um cancro por comer carbono!!! PELO AMOR DE DEUS!!!

Té, problema de saúde pública são os esgotos a céu aberto que ninguém liga, é o lixo espalhado por Lisboa, é o Bairro Alto, são os drogados espalhados pelas ruas, são os abortos, são os imigrantes ilegais que vivem em barracas sem condições higiénicas propensos a espalhar doenças, são as pessoas que andam nos transportes e não tomam banho há 2 semanas...isso sim são problemas de saúde pública!
Porque que eu saiba, o que eu como ou deixo de comer não interessa
a Nação.

Como a Joana disse, se o problema fosse a saúde dos Portugueses o Governo proibia era os McDonalds, KFC's, BurgerKings e afins, proíbia a venda de fritos e Coca Cola às crianças etc etc. E isso o Governo não faz...e não faz porquê? Porque é ESTÚPIDO...

Rita...já eu não gosto nada de pagar impostos para sustentar um sistema de saúde fraco e ineficaz e que ainda por cima também trata essa horda de imigrantes ilegais que infestam o país só pk "é ser humanitário"! Também não gosto de pagar impostos para o PR andar a oferecer jantaradas ao Presidente de Angola que andou a matar portuguêses sob o pretexto de uma "independência" que no fundo não existe porque eles continuam a vir para cá e pedir-nos batatinhas...